Day off with the actress Jani Zhao

The previous guests of this "Day Off" series were people I already knew, which made me approach our shootings and conversations in a different way. But with Jani, it was a first. We had never met before. I knew some of her actress work, we had talked a couple times before and I had this feeling that we were on the same page, about each others work.

So, considering that we were both taking some time off from our busy schedules, I thought I could ask her some questions to get to know her better and share it with you as well. And just like it happened with the previous guests, I ended up with the feeling that these transcriptions are just not enough… it got me thinking again about creating a podcast version of it. I mean, Jani is such an interesting person, that I wished you could also get to know her as I did. The transcript bellow that I’m sharing with you are her most objective answers to my questions, but we ended up talking about several other topics. Unfortunately, I can’t transcribe them all here because that would take me a looong time to do and most of you, would probably not read it all. 

I guess I’ll think a bit more about the possibility of a podcast version… what do you think about it? Do you prefer to read these transcriptions or would you like to have an audio version? (Let me warn you, my voice is terribly monocordic… which might be good, if you have insomnias.)

Until then, enjoy these bits and the photos we did :)

 

If Jani was a character, how would you describe her?

She’s a determined person, faithful, very optimistic. Hm… hardworking too… I think it would be an interesting character, if you don’t mind me saying this about myself (laughs), because although I might look like a balanced and stable character, each one of us, has their own insecurities, doubts, questions that come up due to the different life experiences we go through. 

I think the background of this character would be… something very strong. She would be a calm character, a bit reserved, but dedicated to the ones who are closer to her. I’d say, a simple character, with her feet on the ground. Fortunately, I know myself pretty well, which helps me having this perspective over life and myself.

Ah… (sigh) there's so much to be said… what have I missed?

 

At the time of this conversation, what would be title of this chapter of your life?

Hm… I’d say it’s a new one, a turning page. A new cycle! I think it can be “New Horizons”… or maybe… “The beginning of the flight”.

 

Why did you choose to be an actress?

I didn’t choose to be an actress, I started as a model. When I was 13 years old, a scouter approached me on the street, saying she liked me and inviting me to go to her agency. When I got home, I told my parents and my brother, they said yes and we went there. Meanwhile, while I was at the agency filling a form, the agent asked me “if a tv casting shows up, would you be interested?”. And I still remember my totally naive answer… “I don’t know what that is… no!”. She still insisted “Are you sure?” but I said no again. When I got home, I was telling my mother and my brother how things went with the agency and when I told them tv castings part, they were like “what do you mean, you said no?! You’ve got nothing to loose, you should try!” . So, the next day, I called my agent and asked her to let me know, if something for tv came up.

And I really believe in destiny, that everything happens for a reason… when things are meant to happen, they will happen! And 3 days after that phone call, my agent sent me to a tv series casting. I went through the 3 phases of that casting and I got the part, it was my first time on television. I had no clue of what I was doing. It’s not like today I know much more, but at least now, I have some basic knowledge and some experience. But at the time, I was a child. And since that first tv series, I haven’t stopped working.

So when did I realise that I wanted to be an actress? It was on my second job, it was really hard. I was doing a soap opera for TVI, prime time, with a difficult part and I’m aware that I did it all intuitively. I didn’t know a thing back then. I used to read the script, played it and everything came out naturally. I didn’t think much, I didn’t study the scripts… at the time, everything was very natural.

And then I worked with a guy who told me about a professional theatre school in Cascais, to which I decided to go, because I had too many questions and I needed answers. I wanted to know what I was doing and to understand how I did it, so that I could repeat it every time it was necessary. And that's when I realised, that this is what I really like to do.

 

From all the characters you’ve played so far, which was the one you learned more with? And why? 

It was the one from that second job, for the soap opera. It was a huge challenge at the time and I believe that within a year, it will be the one that I’m currently developing.

On that soap opera, I was 16 at the time and I had several difficult scenes right from the start, that involved scenes in a prison and violence in Thailand… I was a child and although I knew I had a certain maturity, it was quite complicated for me.

 

If you crossed paths with a fortuneteller, what question would you ask?

Aaah! That’s a tough one… I don’t think I’d ask any. I don’t like making plans, programming stuff or projecting… I like things to take their natural course and to solve things as they happen. There’s always the question “will I die happy?”. I don’t know… probably I wouldn’t ask really.

 

What’s your next big adventure?

The character I’m currently working on. It’s a kind of Mata Hari… a true challenge! She’s capable of anything.

 

That does sound challenging, you’ve never done something like that.

That’s right, I didn’t. But you see, things happen when they have to. This is a good turning page… this new character is a ruthless woman. She’s a villain, but there’s also a very human side of her, with which people will relate to.

 

Useful links:

jani zhao
 

As convidadas anteriores, desta série "Day Off", foram pessoas que eu já conhecia, pelo que a minha abordagem à sessão fotográfica e às nossas conversas, foi um pouco diferente. Mas com a Jani, foi uma primeira vez. Nunca nos tínhamos encontrado pessoalmente. Já conhecia o trabalho dela, ela já conhecia o meu, já tínhamos falado algumas vezes e tinha ficado com aquela sensação de que nos entendíamos bem sobre aquilo que cada um de nós faz.

Por isso, considerando que ambos decidimos aproveitar o nosso dia de "folga" de forma um pouco diferente, resolvi fazer-lhe algumas perguntas para a conhecer um pouco melhor e para partilhar com vocês também. E tal como já havia acontecido com as convidadas anteriores, voltei a ficar com a sensação de que estas transcrições das conversas, não são o suficiente… e voltei a pensar também na possibilidade de haver uma versão podcast. A Jani é uma pessoa super interessante, que gostava que a conhecessem como eu a conheci. A transcrição que se segue, são as respostas mais objectivas às perguntas que lhe fiz, mas claro que como acontece nas boas conversas, acabámos por nos desviar do assunto umas quantas vezes. Infelizmente, não posso transcrever a conversa na totalidade, porque isso me levaria imenso tempo e talvez, a maioria de vocês, acabaria por nem ter tempo para a ler toda.

Vou pensar um bocado mais nesta possibilidade de uma versão podcast… mas já agora, partilhem as vossas opiniões, o que acham? Preferem ler estas transcrições ou preferiam a versão audio? (Deixem-me avisar desde já que tenho uma voz extremamente monocórdica… o que podem ser bom, para quem sofre de insónias.)

Até lá, espero que gostem das fotografias e de conhecer um pouco mais da Jani.

 

Se a Jani fosse uma personagem, como a descreverias?

É uma pessoa determinada, fiel, muito optimista. Hm… esforçada… eu acho que seria uma personagem interessante, modéstia à parte (risos), porque apesar de ser uma personagem aparentemente estável e equilibrada, todos nós, temos inquietações, inseguranças, dúvidas, questões que se devem a diferentes experiências de vida.

Eu acho que o background da personagem seria… seria algo muito forte. Seria uma personagem tranquila, um bocado bicho do mato, reservada, mas dedicada e que se entrega às pessoas que lhe são próximas. Diria que seria uma personagem simples, no sentido, terra a terra. Ou seja, eu felizmente conheço-me muito bem e isso ajuda-me na maneira como eu vejo e estou na vida.

Ai… (suspiro) há tanta coisa por dizer… será que disse tudo?

 

À data desta conversa, que nome darias a este capítulo da tua vida?

Hm… diria que é um novo capitulo, um virar de página. Um novo ciclo! Eu acho que pode ser “Novos Horizontes”… ou talvez… “O Começo do Voo”.

 

Porque escolheste ser actriz?

Eu não escolhi ser actriz, eu comecei como modelo. Aos 13 anos, uma scouter passou por mim na rua, veio falar comigo, disse que gostava de mim e convidou-me para ir à agência dela. Cheguei a casa, falei com os meus pais e com o meu irmão, eles disseram que sim e lá fomos. Entretanto, quando estava lá (na agência) a preencher o formulário, ela perguntou-me “E se aparecer um casting para televisão?”. E a minha resposta, lembro-me perfeitamente, foi de uma ingenuidade… “eu não sei o que é isso… não!”. Ela ainda perguntou “Mas tens a certeza?” e eu “Sim!”.  Entretanto, voltei para casa e estava a contar à minha mãe e ao meu irmão como tinha corrido e eles ficaram “como assim, disseste que não? Tu não sabes, não custa nada tentar.”. No dia a seguir, liguei então à agente e disse “se aparecer alguma coisa para televisão, avisa-me então”. 

E eu acredito muito no destino, tudo acontece por alguma razão… quando as coisas têm que acontecer, acontecem. E passado 3 dias ela recebeu um casting para uma série da SIC e eu fui ao casting com 3 fases, passei, fiquei e foi o meu primeiro trabalho em televisão. Eu não fazia ideia do que estava a fazer. Hoje, não sei muito mais, mas já tenho algumas bases, algum conhecimento, já tenho uma percepção maior. Mas na altura não fazia ideia, era uma criança. E desde então que não parei de trabalhar.

Quando é que eu percebi que queria ser actriz? Foi no meu segundo trabalho, que foi muito puxado. Foi uma telenovela na TVI, em horário nobre, a personagem era difícil e eu percebi que fiz tudo aquilo intuitivamente. Eu não sabia nada. Eu lia, interpretava e fazia aquilo que me saía naturalmente. Não pensava, não estudava os textos… na altura, não era uma coisa pensada, foi tudo muito natural. 

E depois, eu trabalhei com um rapaz que me falou da Escola Profissional de Teatro de Cascais. E eu fui, porque tinha muitas perguntas às quais não sabia responder. Pensei, “eu quero perceber o que estou a fazer e quero ter a segurança de… se eu estou a fazer isto assim, daqui a bocado vou querer voltar a fazer”. E foi assim e desde então, percebi que isto é realmente o que eu mais gosto de fazer na minha vida.

 

De todas as personagens que já fizeste, qual a mais enriquecedora, aquela com quem mais aprendeste? E porquê?

Foi essa do tal segundo trabalho, porque foi um grande desafio e acredito daqui a um ano, será esta que tenho agora em mãos.

Nessa telenovela, tinha eu 16 anos na altura e logo no início foram cenas muito difíceis em que a minha personagem estava numa prisão na Tailândia… eu era uma criança, apesar de saber que tinha uma maturidade especial, mas foi complicado.

 

Que pergunta farias a um vidente?

Aaah! Isso é muito tramado para mim, eu acho que não faria. Eu não gosto de planos, não gosto de programar, de projectar… eu gosto que as coisas aconteçam naturalmente e no momento e de as resolver a seu tempo. Talvez… “se morrerei feliz”? Não sei… acho mesmo que não faria qualquer pergunta.

 

Qual é a próxima aventura?

É esta personagem que estou a preparar. É uma espécie de Mata Hari… é um belo desafio! Ela é capaz de tudo.

 

Isso parece-me um grande desafio, nunca fizeste nenhuma personagem assim...

Pois não e lá está, as coisas acontecem quando têm que acontecer. Isto é um bom virar de página… é uma mulher implacável. Ela é uma vilã, mas também tem um lado humano com o qual as pessoas se vão identificar. 

 

Links úteis: